segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Du bist das was ich nicht sein will ♪


Todo mundo sabe. Situações mudam. Pessoas se afastam, mas eu prometo... Eu sempre serei a mesma e eu irei lembrar de você ()

ooi cotolengos.. 
Hoje vou confessar algo a vocês: Eu tenho medo de mudar e esquecer de onde eu vim.
Detesto coisas novas, demoro a aceitar novas opiniões, novas pessoas. Não transpareço minha insatisfação, mas por dentro só eu sei como me sinto depois ver algo diferente do que costumava ser.
Vou tentar falar de diferenças e mudanças, que me deixam com medo.

Certo dia eu estava olhando Chelsea Lately e ela comentou que o ator Matt LeBlanc ficou irritado depois de um repórter falar pra ele: Hey, how you doin'? (Expressão famosa do personagem Joey interpretado por ele no seriado Friends)
Ele virou e disse: Não fale isso. Não sou o Joey, ele era apenas um personagem.
Dias depois eu vi um especial sobre "Friends" e mostrou a história de vida de todos os atores, inclusive a dele (Matt "O Joey")... Ele era ingênuo e extremamente humilde, diferente do cara que agora compra Ferrari e anda de cabeça empinada. Ele não devia ter raiva da comparação com o personagem, afinal ele ficou milionário graças ao papel.
Este foi só um exemplo. Tudo bem, no mundo das estrelas é mais fácil uma pessoa se perder e ter surtos mimados, mas na vida real também acontece. 

Simulação:
Uma menina vem do interior, ingênua, pura e feliz do jeito que é. As pessoas na escola acham ela um ET por suas roupas e costumes, mesmo assim ela tem alguns amigos, o grupo das pessoas que não ligam pra gente popular e modinha. De repente menina corta o cabelo, começa a usar maquiagem, compra uma ou duas peças de roupas, alguém popular elogia, começam os convites pra festas, e pronto! Lá se vai uma menina. Ela esquece dos amigos que estavam lá com ela desde sempre e chama de "best" a menina que chamava ela de "caipira". Passa a colocar apelidos nos antigos amigos e vira uma boneca intocável. Superficial até o ultimo fio do aplique.

Cara, tudo bem a pessoa se cuidar, ter novos amigos... Mas mudar a personalidade só pra ser aceita? Isso é horrível.
No final das contas o lugar de onde viemos, define quem somos realmente.
Não adianta tirar a menina da caipira se a caipira vai sempre estar dentro dela. Você só vai conseguir um ser humano infeliz e sem cérebro. 
Cara, acho isso tão horrível. Sempre quando algum "amigo" meu muda assim, eu fico relembrando os velhos tempos, no quanto éramos felizes daquele jeito e tals. Isso mantém a humildade da pessoa intacta.

Admito que mudei muito do ano passado pra esse ano. Bem, eu não tive escolha. 
Se vocês se lembrarem ou se forem ver, antes do dia 13.09.09, eu escrevia muito sobre amizade, colocava os amigos na frente da família. Então, quando o meu aniversário chegou... Quem estava lá? Minha família! 
Quem estava lá quando meu avô faleceu? Minha família! 
Quem briga comigo mas nunca me abandonou? Minha família! 
Quem me aceita como sou? Minha família!
É sempre minha família. 

Depois do meu aniversário, não escrevi mais textos sobre amizade, pelo menos não que viessem do coração. Um pedaço de mim ficou em 2009. Perdi a menina sentimental que tinha dentro de mim. Confesso que ela ainda está aqui dentro, em algum lugar... Pena que eu não dê mais ouvido a ela. Me machuquei muito e fiquei desiludida com meus "amigos", não quero mais passar por isso então tento não confiar mais em todo mundo ou não me envolver com muita gente, pra evitar destruição total. O sorriso sai cada vez mais difícil.

Sorte que sou uma boa atriz (Bem, eu tento)

Acho que escrevi demais hoje, desculpe, mas precisava colocar tudo isso pra fora. 

Até mais ou n. Beijos ;*

Um comentário:

Hucka's disse...

Muito lindo o post..