segunda-feira, 23 de abril de 2012

Apenas mais um texto esquecido nos meus rascunhos.


A auto-estima, como a maioria dos sentimentos, é amor, o amor próprio. É fácil ver quando uma pessoa não se ama, ela normalmente é tímida, não tem vontade pra nada e quando recebe um elogio pensa que é “zoação”. Ela tem dificuldade de se aceitar e normalmente esquece que também é um ser humano digno de amor e que por mais errado que seja ou pareça ser, existe ao menos uma pessoa no mundo que goste.
Quando uma pessoa se sente um lixo, dá entrada para que os outros pensem isso também e isso só piora o que já não está certo. Muitas vezes o que leva a pessoa a não se gostar é o Bullying, “aaah, mas agora é moda isso, tudo é culpa do bullying”, não nem tudo é culpa do bullying, porém existem casos em que ele é dominante e causa sim, muitos problemas, e por mais que seja clichê hoje em dia dizer que adolescentes sofrem com isso, amedrontar os outros, colocar apelidos, ridicularizar seres humanos, são coisas que realmente fazem mal e fazem sofrer. Imagine uma pessoa que se ama, tem a maior auto-estima do mundo, aí certo dia alguém a chama por algum apelido de mau gosto, tudo bem, ela é feliz assim ela se ama. Então isso começa a se repetir todos os dias, e chega a certo ponto em que a pessoa começa a acreditar, começa a pensar “Espera aí, talvez a errada seja eu”, e depois ela passa a acreditar e ter certeza que ela é o problema, que ela é tudo aquilo que dizem, quando na verdade os errados são os outros que não vêem nada além, não enxergam o coração daquela pessoa que agora sofre e só tende a piorar seu estado de espírito.
Se a auto-estima é baixa, você não espera nada de si mesmo, apenas o razoável: Acordar, tomar banho, comer, ir pra escola, voltar, comer de novo, dormir, comer, estudar, dormir, comer e assim vai. Quando você se dá conta, sua vida está tão monótona que não vê mais sentido em continuar, pensa que seria melhor se não estivesse mais aqui, prefere não sentir nada, a sentir a dor que é ser rejeitado, humilhado e invisível todos os dias.
As pessoas deveriam pensar antes de falar algo a respeito de outra, elas tem que pensar “E se fosse comigo?! Eu gostaria? Como eu me sentiria se ouvisse isso?”, mas elas não pensam e então mais pessoas são maltratadas, se matam ou machucam outras pessoas por ter tanta raiva guardada. Sim, um dia explode tudo, seus sentimentos, suas idéias, suas ações, e então quem se colocar na frente, pode sair machucado. Quantas pessoas já foram mortas em tiroteios dentro de escolas no mundo todo? É claro, o malvado do atirador matou todo mundo e depois se matou. Lógico que não é certo invadir escolas ou qualquer outro lugar, pra extravasar a raiva, pra se sentir “vingado”, mas pense em tudo que leva uma pessoa a fazer isso. É um ciclo vicioso, eu machuco, tu machucas, ele machuca, nós machucamos, vós machucais, eles machucam.
Por isso quando alguém sofre bullying, ela não deve deixar isso afetar sua auto-estima, deve pensar em como ela se enxerga, em como Deus a vê. Se hoje foi ruim, amanhã poderá ser melhor, basta sorrir que tudo se ajeita, sorrir acreditando que esse sorriso vá mudar algo, sorrir de verdade mesmo quando não há motivos para isso. A vida não vai surpreender ninguém, é você quem deve surpreender a vida, é você quem manda, a vida é sua, faça dela a melhor, viva para você e para quem você ama, sem fazer mal a ninguém, e então nada mais importa.
Como diria Charles Chaplin “Sorria mesmo que seu coração esteja doendo”. E isso é a mais pura verdade, sorria, ignore, não ligue, não responda, se te criticam é porque você é alguém. Quem disse que você é o errado? Quem disse que tem que existir alguém errado? Dizem que quando morremos nossa vida passa diante dos nossos olhos, faça com que valha a pena assistir.

Nenhum comentário: