sábado, 4 de agosto de 2012

Todos os amigos certos nos lugares errados

Certa vez uma amiga da minha mãe trouxe o filme "Memórias de uma Gueixa" pra mim assistir. Já fazem alguns anos, mas nunca esqueci de um poema, que citaram no final do filme, cujo a primeira frase era "O coração morre lentamente, como flores recém cortadas", sempre achei filosófico, mas nunca realmente o entendi. Ontem eu fui ao aniversário de um amigo, dormi na casa de uma amiga e cheguei em casa hoje às 10:30. No caminho pra casa, com a maquilagem borrada, cabelo bagunçado, vestida com meu vestido preto e sobretudo bege, pensei bastante, me sentia por algum motivo alguém sem objetivos, acabada e com seus sonhos arruinados, e então quando cheguei em casa, coloquei as musicas mais depressivas que tenho e essa frase veio na minha mente e foi aí que eu realmente entendi o seu sentido. Não apenas entender o que a frase quer dizer, mas sentir como se a frase fosse feita pra mim. É estranho, mas eu sinto como se meu coração estivesse tão cansado e tão morto quanto as flores que o poema se refere. E eu apenas me pergunto: De onde veio tudo isso? Sabe, essa avalanche de sentimentos confusos e aleatórios. Eu não sei. Eu me diverti, eu estava com os meus amigos e agora tudo que eu sinto é um vazio estranho, uma sensação de que nunca mais vou ter momentos assim. E de fato eu não terei, nós não teremos.
Uma infinidade de sentimentos e agora eu só sinto saudade do que eu ainda tenho. Não quero que nosso lugar certo seja longe um do outro. Eu só não quero perder.





"I can be tough, I can be strong, but with you it's not like that at all"

3 comentários:

((Jonatham))Serah??? disse...

*pfvr refletindo*

Rafa Sady disse...

Putz, quanto tempo que não venho aqui... Saudade disso. O layout mudou desde a última vez, e está lindo por sinal. Eu amei :3
Sobre o texto agora. Nunca vi o filme, o que é provavelmente um pecado imperdoável, mas achei a frase linda. Acho que sei como se sente, porque estou no terceiro ano e tals, e pretendo fazer facul fora o ano que vem. Então eu tenho bastante saudade das coisas que ainda tenho.
Mas quer saber? Se ficar triste com as saudades, não vai aproveitar como deve.
Carpe diem.
:*

Joe Blanca disse...

ótimo, ótima, blog, leitura...