segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Eu queria voltar

Mas né...

Olá, pessoas!
Sim, eu estou viva #TodosComemoram #SQN
Desde o último post, eu tenho pensado em o que postar e então os acontecimentos foram passando e nenhum parecia digno o suficiente para provocar minha volta. O negócio é que aconteceram tantas coisas nos últimos meses que eu poderia falar sobre qualquer coisa que isso soaria como novidade.
Decidi então seguir minhas linhas abstratas de pensamento e não faço a mínima ideia do que pode sair disso, portanto, desculpa pela poluição.
Lembram quando eu disse que fiz novas amizades na viagem que fiz com a universidade no início do ano? Pois então, na verdade era uma amizade. Um professor que começou como inimigo, virou amigo, virou pegueti e agora é meu primeiro (e único) namorado oficial (Sim, os outros eram imitação kk).

Lembram quando eu disse que estava muito ocupada e a vida estava uma loucura? Ainda está! Eu ganhei uma bolsa PIBID e a faculdade nunca esteve tão difícil, o tempo livre que tenho, não é livre, é tempo de estudo e planejamento para o estágio. Sem falar nas apresentações de trabalho em eventos. Estou me preparando para o próximo e estou surtando. A foto abaixo representa meu primeiro trabalho apresentado no III SINTEC na FURG. Essa vida de adulta não tá fácil pra ninguém.


E por falar em vida adulta... Lembram que meu aniversário de 21 anos era dia 13 de setembro? (não respondam rs) Sim! Eu fiz outra festa maluca com muita gordice. Só que desta vez eu tinha um namorado maluco pra embarcar nas minhas maluquices. Resultado: Uma festa surpresa no PIBID, uma festa com um bolo muito problemático de dois andares e um chá das 17. Ou seja, sobrou comida pra viver o resto da vida hahaha.
Ai gente, eu adoro falar do meu aniversário então vou contar como foi.
12.09: Na festa surpresa, pediram pra eu fazer uma saída de campo com os alunos e eu fui, no meio da prática sobre briófitas e pteridófitas, a professora resolveu voltar na matéria de flor e pediu para os alunos acharem as flores mais bonitas para fazer um buque, ao final ela me deu e todos cantaram parabéns. Ao chegar na escola, fui até o laboratório e lá estavam as minhas colegas de PIBID e o Julio (boy magia) com uma nega maluca (bolo de chocolate), mini-pizza e cachorro-quente, fiquei completamente sem reação, amei <3

13:09: No meu aniversário, minha irmã Amanda (que faz bolos divinos) resolveu testar a pasta americana para fazer meu bolo com dois andares. Durante toda semana, saí com o Julio para comprar todos os materiais e coisinhas divertidas, eu estava como pinto no lixo: A-D-O-R-A-N-D-O. Com tudo comprado, na noite anterior fomos montar o bolo com recheio meio amargo e várias coisas super gordas. Nós só não contávamos com um detalhe: PASTA AMERICANA É COISA DO DEMÔNIO, É TIPO O CAPIROTO DISFARÇADO DE DOCE QUERENDO DESTRUIR SEU ANIVERSÁRIO. E assim começou nosso dilema de hoooras tentando amaciar e colocar no bolo. Por fim, o bolo ficou todo remendado e completamente diferente da expectativa. Maaas, estava gostoso (tirando a pasta americana G_G).

14.09: Para o chá, minha irmã (Amanda, a doceira) fez um bolo com morango e merengão que meeeeeu deeeeeus, era de comer ajoelhada. Desta vez, nada de pasta, ou melhor dizendo, NUNCA MAIS!


Enfim, meu aniversário foi super diver e eu adorei. Engordei 293890830kg e principalmente comi muuuuuito cachorro-quente e bolo nas semanas seguintes.
É isso gente, queria dizer que eu estou viva, apesar de doente e sem quase andar. Mas eu supero. Vocês superam. E todos nós vivemos felizes para sempre.
Ou até dizer chega.
bjs de luz

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Tudo muda o tempo todo

O post era pra ser feliz porque eu tenho estado muito feliz ultimamente e apesar da minha vózinha estar no hospital, sei que tudo vai ficar bem. O post era pra ser alegre porque o ano começou melhor do que qualquer outro. O post era pra ser empolgante porque eu escalei uma espécie de monte o qual era tão íngreme que eu pensei que não voltaria de lá, mas eu voltei o que tornou toda essa experiência com minha turma de ciências na natureza, inesquecível. O post era pra ser divertido porque fiz fernandices e novas amizades durante a viagem, o que rendeu boas risadas. O post era pra ser louco porque pra variar eu bebi bastante e fiz muita besteira, sabe as besteiras de sempre as quais eu nunca me arrependo e sempre tiro grandes lições e risadas.
É incrível como as coisas mudam, uns minutos atrás eu estava pensando em mil fotos e maneiras engraçadas de comentar minhas experiências e agora eu só sinto este aperto no coração e por mais que soe como algo cafona, eu não ligo pois o aperto sendo brega ou não, continua aqui.
O post ERA pra ser assim, mas não é. O fato é que acabei de receber um whatsapp da minha melhor amiga dizendo que a avó dela faleceu e que ela está a caminho da cidade e como é que eu poderia escrever sobre coisas felizes sendo que uma parte de mim se quebrou ao ler aquela mensagem? Não tem como. E não é por "consideração" ou por que "vai ficar chato falar" e sim porque quando ela chora, eu choro. A dor dela é a minha. Coisa de melhor amiga, sabe? Então hoje o post não é feliz, hoje o post é carregado de lágrimas. Hoje, com essa chuva que não para, o post, mesmo com todo esse calor, é frio, tristonho e, de certa forma, silencioso.
Hoje o post era pra ser superficial, mas está profundo e cheio de amor.

Desculpem por mais uma dose de depressão, mas quando alguém que eu amo se machuca, eu me quebro.

Ádua, mal posso esperar pra te dar aquele abraço forte, te amo.

XX,

abbatuamente.