quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Tudo muda o tempo todo

O post era pra ser feliz porque eu tenho estado muito feliz ultimamente e apesar da minha vózinha estar no hospital, sei que tudo vai ficar bem. O post era pra ser alegre porque o ano começou melhor do que qualquer outro. O post era pra ser empolgante porque eu escalei uma espécie de monte o qual era tão íngreme que eu pensei que não voltaria de lá, mas eu voltei o que tornou toda essa experiência com minha turma de ciências na natureza, inesquecível. O post era pra ser divertido porque fiz fernandices e novas amizades durante a viagem, o que rendeu boas risadas. O post era pra ser louco porque pra variar eu bebi bastante e fiz muita besteira, sabe as besteiras de sempre as quais eu nunca me arrependo e sempre tiro grandes lições e risadas.
É incrível como as coisas mudam, uns minutos atrás eu estava pensando em mil fotos e maneiras engraçadas de comentar minhas experiências e agora eu só sinto este aperto no coração e por mais que soe como algo cafona, eu não ligo pois o aperto sendo brega ou não, continua aqui.
O post ERA pra ser assim, mas não é. O fato é que acabei de receber um whatsapp da minha melhor amiga dizendo que a avó dela faleceu e que ela está a caminho da cidade e como é que eu poderia escrever sobre coisas felizes sendo que uma parte de mim se quebrou ao ler aquela mensagem? Não tem como. E não é por "consideração" ou por que "vai ficar chato falar" e sim porque quando ela chora, eu choro. A dor dela é a minha. Coisa de melhor amiga, sabe? Então hoje o post não é feliz, hoje o post é carregado de lágrimas. Hoje, com essa chuva que não para, o post, mesmo com todo esse calor, é frio, tristonho e, de certa forma, silencioso.
Hoje o post era pra ser superficial, mas está profundo e cheio de amor.

Desculpem por mais uma dose de depressão, mas quando alguém que eu amo se machuca, eu me quebro.

Ádua, mal posso esperar pra te dar aquele abraço forte, te amo.

XX,

abbatuamente.