sexta-feira, 29 de maio de 2009

Naão achei titulo :s

Peço desculpas aos leitores do meu blog, pela falta de posts.
Ultimamente ando sem inspiração e qualquer tentativa de post, seria um grande desastre =/

Hoje, estou aqui, apenas para justificar minha ausência e dividir minha dor com vocês. [/não que eu estivesse com dor de barriga ou algo do tipo]
No dia 25 de maio deste ano, mais precisamente à 1:30 da madrugada de segunda, meu mundo desmoronou, pois meu avô [/Sim, o Homem de ferro do outro post], faleceu no pronto socorro do hospital onde deu baixa, com falta de ar, horas antes.
Já estava chorando a um tempo, pois eu havia ajudado a colocá-lo na maca. Quando meu pai recebeu a ligação avisando o que tinha acontecido, desmoronei, me senti completamente desestruturada. Na hora, não pensei no “Homem de Ferro”, mas sim, no meu avô, no meu herói.
Nunca chorei tanto, quanto chorei naquelas 12hs, que fiquei no velório.
Vendo meu avô, ali, naquele caixão, rodeado por margaridas [/sua flor preferida], não pude esconder meu sofrimento. Por várias vezes, li a frase, que havia em uma das coroas de flores: “Você sempre será nosso herói”, assim como, em todas as vezes que lia, desabava em lágrimas.
Já faz quase uma semana, e ele faz muita falta, não só pra mim, mas também para todos que o conheciam.

Bom acho que é isso, vou deixar uma “mensagem” que fiz para ele.

“Um grαnde homem, minhα estrelα guiα, meu αvô, meu herói, meu αmor, meu tudo. Você merece cαdα lαgrimα que derrαmei, cαdα suspiro de sofrimento, cαdα homenαgem que recebeu. Um exemplo de ser humαno, um grαnde αmigo, um grαnde pαi, um grαnde αvô. Só quero que sαibα, onde quer que eu vá, no meu corαção, você sempre vαi estαr. Te αmo prα todo sempre

Desculpe pelo post tosco!
Beijos e até o próximo post :*

terça-feira, 19 de maio de 2009

Atiim.. oO'

[/Não me pergunte o porque deste titulo, ainda estou me perguntando -q]

As vezes me acho tão patética [/tá e dai?!], hoje eu estava chorando [/uma coisa muito rara], mas o mais ridículo, é que eu não tinha motivos pra chorar. O mais louco, é que quando eu tenho motivos, eu não choro [/não tente me entender].

Ok. Eu sou meia fechada pra essas coisas, não choro, não expresso sentimentos e tals, mas esse ataque de choro, fez eu me perguntar várias coisas, como: "Sua idiota, porque tu tá chorando?" ; "Porque as pessoas não gostam de pessoas estranhas como eu?" ; "Porque eu me perguntei isso?" ; "Qual será a tradução dessa música?" [/ok, essa parte não foi muito reflexiva, mas vamos ignorar este fato, para que este post seja menos inútil '-'].

Após me fazer várias perguntas, algumas idiotas, outras estranhas, eu resolvi sair da frente do pc e ir lavar o rosto, cheguei na frente do espelho [/levei um susto, o lápis e o rimel estavam borrados, minha cara tava pior do que o normal oO'], quando vi meu reflexo, comecei a rir, mas era um riso tão espontâneo, acho que jamais tinha dado uma risada tão gostosa [/eu não sou drogada.ok?!].
Foi ai que percebi, que eu era humana [/Você entendeu o que eu quis dizer], que por mais que eu fosse diferente, eu também podia rir e chorar, sem motivo, porque afinal eu sou o que sou, um choro ou um riso descontrolado, não vão mudar meu jeito de ser.

Acho que é isso!
O motivo desse post infeliz e sem sentido? Não sei. '-'

P.s.: Não estou com a gripe do porco [/H1N1].

Beijos e obrigada por poluir sua mente com meu blog -q

terça-feira, 12 de maio de 2009

Homem de Ferro = Vovô

- Ele acordou bem hoje – Foi assim que a minha avó paterna, me recebeu em uma quinta qualquer, do mês passado.
Eu sorri, e então fui em direção a minha casa. Chegando lá, fui direto pro meu quarto, deixei minhas coisas, lavei as mãos e fui almoçar.
Da janela pude ver meu avô paterno vindo em direção a minha casa, me assustei, pois ele mal levanta sozinho. Minha avó tinha razão quando disse que ele havia acordado bem.

Ok, você não deve estar entendendo nada, então vou explicar [tenha paciência, sou lerda]:
Meu avô, tem duas doenças, Mal de Parkinson e Mal de Alzheimer, ambas atingem o cérebro, danificando a coordenação motora, fala, etc. Normalmente ele não faz nada sozinho, minha avó e meu pai, é quem dão banho, comida, levantam e deitam ele. Ele quase nunca fala, mas quando fala, além da voz sair baixa ele apenas fala coisas sem sentido.
Agora que já expliquei, vou continuar.

Vendo meu avô bem, senti uma alegria tão grande, nem sei como explicar o que senti na hora, mas também veio uma tristeza, pois não sabia quanto aquilo podia durar, ele é muito importante pra mim, tenho ele como um exemplo. Ele sempre foi um “homem de ferro”, suportou todas as dores, educou seus filhos de uma forma tão boa, sinto orgulho de ser sua neta. O que me deixa triste, é ver um homem que fez tantos sacrifícios para o bem estar de sua família, estar deste jeito.
Bom, com doença ou sem doença, continuo vendo nele, o mesmo “homem de ferro”, que supera qualquer coisa com honestidade e muita confiança em si.
O admiro muito e acima de tudo, o amo independente de qualquer coisa. ♥

Bom, espero que tenham gostado, pois eu amei falar um pouco dele.
Beijos e desculpe a falta de posts :*

sábado, 2 de maio de 2009

Hoy!

Não tenho a menor idéia do irei postar hoje! oO'

Depois de vários minutos em silêncio [/Na verdade não está tão silencioso, já que estou ouvindo musica, mas isso não vem ao caso], resolvi falar sobre as diferentes "Tribos" que existem em meu meio ambiente!
Quando era pequena [/Não faz muito tempo], na minha escola haviam poucos grupos, normalmente só existiam os "Mauricinhos" e as "Patricinhas". Fora destes dois grupos tão... ridículos [/pronto, falei], existiam os "Vegetais", que não faziam nada além de puxar o saco dos populares.

Pra falar a verdade, nunca me encaixei em nenhum desses grupos [/E sou mega feliz por isso], sempre fui meia [/totalmente] diferente ou estranha, chame como quiser!
Com o tempo foram surgindo outros, como:
Punk's, Metaleiro's, Hippie's, Pirigueti's, Emo's, e por ai vai...
Mesmo com essa grande variedade de estilos, seguia sem uma "Tribo". Me vi com um pequenino [/Enorme] problema:
Com quem irei me misturar? oO'
Após pensar bastante [/Sou lenta, isso demorou semanas], cheguei a uma única conclusão [/Mais de uma já é pedir demais, para alguém que só pensa as vezes]:
Não preciso de um grupo específico!
Pra que ser de um grupo, se eu posso ser amiga de todos [/ou quase todos]?
Foi ai, que me descobri!

Hoje em dia, sem querer [/Querendo], acabei formando um grupo. Mas não é um grupo só de Rockeiros ou só de Funkeiros, é um grupo de amigos, que independente de um ouvir Rock e o outro Forró, somos unidos por uma única razão:
Somos nós mesmos acima de qualquer coisa!
Nós nos autodenominamos CRAZY'S [/pois ao ver dos outros agimos como tais].
Somos seres vivos, querendo ou não, fazemos parte da mesma espécie, independente de time, religião, cor ou estilo musical!
É como diz uma linda música censurada na época da ditadura militar [/Momento 'cultura não faz mal a ninguém']:
"Somos todos iguais, braços dados ou não."
E é disso que devemos nos lembrar, sempre! =D

Vou parando por aqui, pois este post já está grande demais! [/Pra quem não sabia o que ia postar...]
Beijos = *