sábado, 9 de julho de 2011

They´re creepy and they´re kooky (oito)

Título: Musiquinha da família Addam's

ooi Cotolengos *-*

Hoje vim aqui falar sobre família! Não é um assunto muito interessante, mas deu vontade de falar sobre isso hoje então espero que gostem.

Minha irmã mais velha (Grasiella, 29) descreve meu nascimento como "a chegada da paz" em casa, porque eu fui a única de todos os nossos irmãos que não chorava, não incomodava e praticamente nem existia.
Eu não me lembro da época em que a Grasi morava aqui em casa, porque ela sempre morou com a minha avó, ela sempre foi divertida, tinha muitos amigos e era um pouco revoltada também, ela era uma mistura de Amanda e Bruna (Minhas outras irmãs).
Depois dela veio a Bruna (7.06 - 22 anos) ela sempre foi a "irmã bonita" (HEHEHE), ela saia, tinha vários amigos, uma vida social bem movimentada, apresentava os namorados para os nossos pais e tudo mais. Ela também sempre foi muito inteligente, foi a única de nós todos que nunca repetiu o ano e passou em primeiro lugar na faculdade.
A irmã que eu mais conversava era a Amanda (22.07 - 19 anos), mas no final do ano passado ela foi morar com a Grasi em Florianópolis e eu fiquei meio que forever alone. Ela sempre foi a filha revoltada, sempre fez o que dava vontade e as professoras na escola tendiam a me odiar depois que descobriam que eu era irmã dela, gosta de ajudar os outros, é muito divertida e um pouquinho retardada (Recentemente ela comprou lápis de cor e um livrinho de colorir pra passar o tempo).
Depois delas veio eu (Fernanda, 13.09 - 17 anos), que vocês já meio que conhecem. Eu sou a irmã estranha. Tenho cara de ser bem mais nova, em casa sou bem calma, as pessoas quase não me vêem, na rua, nas festas e na escola eu expresso toda a minha bipolaridade e retardadice mental (HEHEHE).
E por ultimo, veio o Lauro (11.12 - 15 anos). Eu "sofri" bastante nas mãos dele, ele é o único menino então é mimado ao extremo. Ele nunca faz nada, nem a própria cama arruma, eu sou meio que a empregada dele. Ou pelo menos era, porque agora eu o obrigo a arrumar as coisas dele e as vezes até as minhas. Querendo ou não, o Lauro sempre foi o irmão que mais esteve comigo, porque ele é o único que sempre morou aqui em casa e agente até dividiu quarto por algum tempo. Antes eu o achava insuportável (Continuo achando as vezes), mas agora agente se dá bem, acho que é porque ele já está amadurecendo e eu não sou mais uma criança pra sair no tapa com ele.
E quem nos criou foi basicamente dois casais, meu pai (Luiz), minha mãe (Áurea), minha avó (Jurandi) e meu avô (Hermógenes).
Meu pai é tudo pra mim, admiro muito ele, faz o estilo conservador e paizão, faz tudo pra deixar a família feliz. Ele é bom e generoso, herdamos isso dele. Ele também adora fazer agente rir, se tá tocando uma musica ele começa a fazer alguma dança estranha pra gente rir ou conta alguma piada muito ruim, mas que agente rir só da cara de feliz que ele faz. Por causa dele eu tive uma infância feliz e educativa porque ele sempre fez todos nós assistirmos desenhos e programas infantis que ensinassem algo de bom. Sem falar nas vitaminas de beterraba com cenoura que ele fazia e agente adorava.
Minha mãe é meia louca (HEHEEH), ela é bem divertida e é um pouco o oposto do meu pai. Ela adora fazer compras e vive enchendo o saco pra mim sair e namorar por aí, alok. Ela ajuda bastante as pessoas, é do tipo que acha que sabe tudo e ela sempre é a certa (HEHEHE).
Minha avó é igual ao meu pai, muito generosa e faz tudo pela família, é bem daquelas avós que mimam todo mundo, fazem aquelas comidinhas que engordam toneladas e aqueles chás que aprenderam com a tataravó.
Meu avô já faleceu, mas ele era muito bom, era conservador, amava trabalhar e adorava fazer churrasco todo domingo pra juntar toda a família, não se importava com quanto ia gastar, desde que a família estivesse feliz, meu pai herdou essas qualidades dele.
Não lembro de momentos atoa em que estivemos todos juntos, lembro apenas de alguns fins de ano em que se juntava toda a família. E eu até postaria uma das fotos pra vocês, mas fica pra próxima porque não tenho nenhuma no PC.
Acho que família são aquelas pessoas que irritam pra karai, mas que no final das contas são nossos únicos amigos. E hoje, depois de viver quase 18 anos com pessoas tão diferentes, posso dizer que os amo mesmo, cada um de um jeito e cada vez mais. Nós somos uma família fora do comum, mas somos felizes assim. Não dá pra viver sem.

Foi isso, espero que tenham gostado. Beijos s2