segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

tãtãtãtãtã *musica do plantão* Retrospectiva 2012

Oi, lindos!
Gostaria de começar essa retrospectiva dizendo que o mundo não acabou como eu já havia profetizado hihi'
Então, 2012 foi um ano fantástico pra mim e hoje vocês lerão um super hiper tedioso resumo. Espero que vocês não durmam.

Janeiro: Bom em janeiro eu não sai de casa, se saí foi pra dar umas voltas, ir em algum aniversário, mas não foi nada demais. Fiquei curtindo um milhão de filmes e fazendo gordice é claro.

Fevereiro: A mesma coisa de Janeiro, só que teve a volta as aulas então foi super divertido rever meus amigos.
Março: Foi um mês com altos e baixos.
Altos: Reunião com os dois terceiros anos.
Festinhas com a turma.
Diversão com os meus amigos.
Micos do terceirão.

Baixos: Ádua foi embora e deixou muita saudade lá na aula.

Abril: Houveram várias provas e foi um mês um pouco estressante, não só pra mim, mas para toda a turma.

Maio: Fizemos um acampamento, foi diver demais, já falei sobre isso anteriormente.
Junho: Em junho nós (eu e meu grupo) entregamos a primeira parte do nosso tcc. A gente achou difícil a primeira parte, mas depois só piorou, ôxi. SDDS.

Julho: Fizemos uma festa surpresa pra Ádua na casa do Ben.

E vieram as férias de julho, AMÉM. Fui em um churrasco muito surreal na casa do Ben e em uma junção na casa de um menino lá e tipo, foi insano, muita loucura. Já assistiram o filme "Project X"? Então...
Agosto: Tiveram 980980 de provas e trabalhos + segunda fase do TCC. Teve uns aniversários também e eu saí bastante pra variar e me fudi em todas as provas, irrá.
Ah, também teve um encontro de pastorais lá no colégio, muuuuuito bom.


Setembro: aaaaah, meu aniversário né gente!
Houveram 4 comemorações:
13.09 - Almoço com a família.
14.09 - Junce com Ben e Gabe.

15.09 - Festinha aqui em casa pra família e amigos.

16.09 - Gordice com Maris e Paula.

Outubro: EJM IRRÁÁÁÁÁ
Encontro de Jovens Maristas em Porto Alegre, uma das melhores viagens que eu já fiz, simplesmente P-E-R-F-E-I-T-O.
Novembro: Vish, por onde começar...
Teve a gincana, onde toda a turma se uniu pra fazer uma apresentação, e cara, podem me perguntar qual foi o momento mais legal da apresentação, eu vou dizer que foram os ensaios, nada paga o que nós fizemos pra estar lá, estendemos nossa "faixa" no meio da rua pra fazê-la um dia antes da apresentação, era noite e nós lá sentados na rua, Francisco e Lourenço cantando e tocando violão, Vitória servindo churrasco pra todos, enquanto meus colegas seguravam um cartaz avisando para os carros passarem pelo lado, foi muito divertido.
 
 Super bem feito o cartaz, né.

Apresentação

TCC: No dia da gincana, de manhã no horário da aula, passaram nas aulas e disseram que a ultima (e mais difícil) parte do TCC deveria ser entregue no dia seguinte, só que ninguém tinha feito por causa de todo esse negócio de gincana. Resultado: Saímos do colégio lá pelas 23:50, chegamos em casa e ficamos a noite e o dia seguinte inteiro fazendo o trabalho. Entregamos em cima da hora, faltaram muitas coisas, mas ok. No dia da apresentação a coordenadora disse que ficou um dia inteiro lendo nosso TCC (no caso, do nosso grupo) e ela duvidou que nós tínhamos feito, ela meio que insinuou que outra pessoa fez pela gente, mas assim nós não temos culpa se o resto resolveu fazer um trabalho lixo e pareceu que o nosso foi comprado. Tudo bem, a gente superou e conseguimos apresentar.

Houveram um milhão de atividades para os terceiros anos, foi realmente muito divertido, eu apresentei uma homenagem a turma juntamente com a Thainá, minha colega. Era um texto (clique aqui para ler o texto) e um vídeo com fotos e tal.
 Último dia de aula.
 Última mesa partilhada.
 Última vez na pracinha.
 Último encontro na escola com os pais e alunos.

 Última atividade especial.
Último dia ² Todos tomando banho nos regadores do campo.

Dezembro: Bom, em dezembro eu estudei tudo que eu não estudei durante o ano pra passar nos exames finais.
No meio disso, viajei pra Santa Maria com Paula, Jojo, Maris e Ádua pra fazer o vestibular da UFSM.
Olha, a gente pode até não ter passado, mas foi definitivamente a melhor viagem, perfeita demais.








EEEEEEE TÃNÃN, MINHA FORMATURA: Aleluia, né.
Foi perfeito demais, se melhorasse, estragava.
Chorei um pouco, confesso que vou morrer de saudade daquela gentalha.



Fotos do book/convite:










Natal: Nesse Natal, eu, Amanda e Lauro que preparamos tudo, basicamente, eu e a minha irmã cozinhamos e o meu irmão ia comprar o que a gente precisava. Foi cansativo, mas divertido aprontar tudo.


Então, é isso pessoal. Acho que nunca coloquei tanta foto em um post só, mas enfim, espero que o ano de vocês tenha sido tão bom quanto foi o meu.
Feliz ano novo, mudem o que quiserem, amem muito mais e seja muito, mas muito felizes.
Beijos e até o ano que vem!


quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

I Hate Everyone...Starting with Me

Título: Livro de uma fashionista que eu adoro, porém o post não faz nenhuma menção a isso ou talvez faça, ainda não sei porque ainda não o escrevi, mas que conste nos autos que não é minha intenção mencionar nada a respeito disso, qualquer menção não passa de uma mera coincidência.

Olá, queridos!
Eu adoraria fugir de todo esse "chisme" de fim do mundo, mas não posso deixar isso de lado quando todas as redes sociais que eu frequento estão falando da mesma coisa. Pois então, eu poderia falar da minha viagem a Santa Maria para fazer vestibular ou então da gincana da escola ou quem sabe do meu TCC ou melhor, da minha tão esperada formatura do Ensino Médio, mas nada disso é tão interessante, na verdade foi interessante, mas não será para vocês e quem sabe um dia, se a teoria estiver errada, eu consiga contar-lhes algo a respeito disso.
Mas e de que exatamente eu vim escrever hoje? Não sei. Só senti uma vontade louca de me despedir. Eu não acredito que o mundo vá acabar mesmo amanhã, mas e se acabar? O que eu terei dito pra vocês antes disso? De que forma eu teria retribuído todo prazer que vocês me deram em escrever? Acho que escrevendo é a melhor forma de dizer meu "obrigado" ou talvez seja a pior considerando que eu não sei o que escrever e mesmo quando eu sei não sai boa coisa, rs.
Bom, atualmente eu estou em uma teia de sentimentos e enrolada em um milhão de dúvidas. Eu adoraria me abrir com vocês e contar tudo que está aqui dentro do meu coração gritando para sair e fazer o maior estrago na vida de todo mundo, mas eu não posso. Eu não sou mais a mesma, eu não consigo mais vir aqui e colocar tudo o que eu penso em palavras, eu tenho medo das consequências, de quantas pessoas se machucariam ao ler a verdade aqui. Às vezes eu gostaria de voltar a 2007, quando eu escrevia o que vinha a minha cabeça, sem me importar que alguém fosse ler porque afinal, apenas pessoas que eu não conheço pessoalmente leriam e essas pessoas, no caso vocês, eram os meus melhores amigos, eram aqueles que sabiam tudo sobre mim, não pelos outros, não por boatos, mas por mim e porque EU sentia vontade de dividir com vocês. Hoje, quando todos estiverem tuitando um adeus no twitter, mesmo que por brincadeira, eu estarei certamente dormindo, pois aqueles que merecem receber um "adeus" da minha pessoa, são vocês. Os outros, são os outros. E se há alguém além de vocês que merece ser lembrado, tenham certeza de que já foi devidamente agradecido. E àqueles a qual eu não lembrei não merecem ser agradecidos, pois se fossem realmente importantes eu teria lembrado, assim como lembrei de vocês e de outros.
Como já disse, não acredito que o mundo vá acabar amanhã, mas de qualquer forma, deixo aqui meu obrigado!
E para finalizar, gostaria de pedir algo: Se o mundo sobreviver ao 21.12.12, por favor, não olhe para trás e faça do dia 22.12.12 o seu primeiro dia de vida. Viva por outra perspectiva, mude se for preciso, seja mais feliz e acima de tudo, ame.

Com amor, Fernanda.

domingo, 28 de outubro de 2012

Oi, lindos.

Faz bastante tempo que eu não venho aqui, mas eu vim! O fato é que com esse lance de ENEM eu ando bem sem tempo de fazer as coisas que eu mais gosto, no caso, escrever aqui.
Na semana passada, eu fui rapidamente a Porto Alegre com a minha turma de PJM (Pastoral Juvenil Marista) para participar do EJM (Encontro de Juvens Maristas ou algo assim), eu poderia dar uma descrição detalhada sobre esse encontro, mas prefiro deixá-lo apenas na minha memória e dos que foram, foi um daqueles momentos especiais que a gente só quer lembrar, sabe.
Ontem eu fui em uma junção da turma e foi realmente divertido, já estou com saudades deles, vão fazer falta demais. O mais estranho foi acordar no dia seguinte, me senti naquele filme "Se beber, não case" hahaha.
Eis que eu acordo no chão do meu quarto, com um ventilador desligado ao meu lado, meu colchão estava fora do lugar e sem lençol, meu celular estava embaixo da cama, a porta estava escancarada e eu estava tapada com um pedaço do meu cobertor. Fui pra aula de reforço do ENEM ainda na brisa, na volta peguei um taxi, pois o céu estava caindo de tanta chuva. Quando cheguei na minha rua, o taxi parou próximo a calçada, mas havia aquela clássica água podre de chuva passando por todo cordão da calçada, tentei pular ela (tipo uma ninja, sabe), mas acabei caindo com tudo dentro da mega poça, nadei no rio negro. O pior foi ter entrado em casa toda fedida, ensopada e a chuva ter parado, o sol apareceu e dava até pra ouvir pássaros cantar. Quando entrei no facebook, lá estavam as fotos da junce, não preciso nem comentar que eu estava super louca em todas. Comecei a juntar peças e descobri que eu estava no chão, porque fui fazer xixi de madrugada e quando voltei simplesmente me joguei no chão, com muita vontade, aí dormi, só que antes disso, eu busquei um ventilador no quarto da minha mãe, e deixei lá no chão do quarto ele desligado. Lá pelas tantas me deu frio e eu puxei meu cobertor da cama, mas o colchão veio junto, aí me tapei só com um pedaço do cobertor pro colchão não cair, nisso o meu celular deve ter caído no chão e o lençol se desprendido. De qualquer forma, me diverti bastante e realmente vou sentir muita falta dessa gente chata e bêbada.

Beijos, queridos ♥

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Happiness is only real when shared

Certa vez meu professor de português levou o filme "Into The Wild" pra nós assistirmos. O filme fala sobre uma história real, um jovem recém formado que sai em busca de conhecimento interior, para isso ele vai viver na natureza. É realmente muito inspirador e uma das frases do filme que mais me chamou atenção foi a que está no título, a tradução é mais ou menos: "A felicidade só é real quando compartilhada".
Mas apesar de adorar falar sobre filmes, esse post não é sobre o filme em si, mas sim sobre essa frase. Ela me fez refletir sobre a vida e como eu tenho vivido a minha. Comecei a me perguntar se eu estava mesmo vivendo ao lado das pessoas que gosto ou se eu estava apenas assistindo a vida delas passar. De fato, eu não estava vivendo e não sei ainda se estou, eu apenas gosto da forma calma com que eu me relaciono com as pessoas. Eu gosto das pequenas coisas. Eu gosto de fazer trabalho voluntário, eu gosto de andar por aí sem ter pra onde ir, eu gosto de ir na igreja quando não tem ninguém e ficar sentada lá pensando, eu gosto de escrever, eu gosto de filmes chatos, eu gosto de musicas calmas e agitadas, eu gosto de beber e até de sentir a ressaca no dia seguinte. Mas eu acho que esse meu tipo de vida não é o que os outros admiram ou querem para si. Às vezes eu tinha medo de perder meus amigos por causa das vezes que eu preferia ficar em casa ou das vezes que eu ficava em silêncio, mas depois que o tempo passou, eu percebi que meus amigos de verdade estão aqui comigo e que eles não vão me deixar ou algo assim.
Meu aniversário foi no dia 13 e foi um dos melhores aniversários que eu já tive. No dia 13 fiz um almoço com a minha família e passei o dia todo cumprindo alguns compromissos, um deles foi ir em um curso de capacitação para fazer trabalho voluntário, estou ansiosa para visitar o hospital na semana que vem. No dia 14 fui beber com dois dos meus melhores amigos, jogamos twister e dançamos até as 4 da manhã. No dia 15 recebi minha família e mais amigos especiais na minha casa. E no dia 16 passei a tarde com duas das minhas melhores amigas colocando o papo em dia.
Eu gosto de ter 19 anos e eu adoro o fato de dividir minha vida com essas pessoas tão importantes. E sim, eu acho que a felicidade só é real quando compartilhada, não vale a pena ser feliz sozinha.


1bj

sábado, 4 de agosto de 2012

Todos os amigos certos nos lugares errados

Certa vez uma amiga da minha mãe trouxe o filme "Memórias de uma Gueixa" pra mim assistir. Já fazem alguns anos, mas nunca esqueci de um poema, que citaram no final do filme, cujo a primeira frase era "O coração morre lentamente, como flores recém cortadas", sempre achei filosófico, mas nunca realmente o entendi. Ontem eu fui ao aniversário de um amigo, dormi na casa de uma amiga e cheguei em casa hoje às 10:30. No caminho pra casa, com a maquilagem borrada, cabelo bagunçado, vestida com meu vestido preto e sobretudo bege, pensei bastante, me sentia por algum motivo alguém sem objetivos, acabada e com seus sonhos arruinados, e então quando cheguei em casa, coloquei as musicas mais depressivas que tenho e essa frase veio na minha mente e foi aí que eu realmente entendi o seu sentido. Não apenas entender o que a frase quer dizer, mas sentir como se a frase fosse feita pra mim. É estranho, mas eu sinto como se meu coração estivesse tão cansado e tão morto quanto as flores que o poema se refere. E eu apenas me pergunto: De onde veio tudo isso? Sabe, essa avalanche de sentimentos confusos e aleatórios. Eu não sei. Eu me diverti, eu estava com os meus amigos e agora tudo que eu sinto é um vazio estranho, uma sensação de que nunca mais vou ter momentos assim. E de fato eu não terei, nós não teremos.
Uma infinidade de sentimentos e agora eu só sinto saudade do que eu ainda tenho. Não quero que nosso lugar certo seja longe um do outro. Eu só não quero perder.





"I can be tough, I can be strong, but with you it's not like that at all"

domingo, 8 de julho de 2012

Por um mundo cheio de leitores.

Sabe aquela vontade de virar a página e mudar tudo de novo? Então, eu tenho tido essa necessidade ultimamente. Mudar, mudar, mudar! Tudo na minha vida têm mudado e cada vez mais tenho vontade de mudar outra vez. Parece que nunca é suficiente.
E se você nem tiver lido essa página? Pode isso? Querer outro capítulo sem nem ao menos saber o final do anterior? Acho que não, mas eu sou assim, quando começo a ler um livro e ele me decepciona, eu paro de ler. E sim, é possível se decepcionar com um livro mesmo que você não tenha lido muito sobre ele. Às vezes aquele pouco que você leu, já basta pra acabar com tudo que você esperava. Toda aquela capa bonita e aquela sinopse envolvente, podem se tornar desinteressantes, basta uma palavra ou frase mal colocada e pronto!
E se você trocar de livro e esse deixe a desejar? Troque o autor, eles tendem a ter as mesmas ideias e cometer os mesmos erros, não importa qual seja o tema do livro.
Mas e se você quiser ler o livro até o fim e mesmo assim se decepcionar? Lembre-se do título e jamais o leia novamente.
Só não pode esquecer que ler faz bem, que existem vários livros interessantes e prontos para serem decifrados por você e que não é porque um livro é ruim que todos os outros serão.

Beijos, queridos.

quinta-feira, 31 de maio de 2012

Live it up

Vai passando o tempo e a vida vai cobrando mais seriedade da gente, né cotolengos, então, hoje falarei disso e de outras coisinhas. Eu estou exausta e eu nem sou a pessoa mais atarefada do mundo, tenho amigos que fazem o dobro das minhas atividades e estão bem, mas sabe quando você não sabe nem por onde começar? Então, eu estou assim. Eu já criei uma rotina e tem funcionado, mas aparece que não é o suficiente. Sei lá, eu estou cansada de ouvir falar de vestibular e estou perdendo a vontade de fazer tudo e nem sei mais se eu quero realmente ser uma design. Isso foi algo que eu nunca questionei, sempre soube que tinha vocação pra isso, mas o cansaço tem me feito pensar se vale mesmo a pena, se eu estou fazendo certo, se eu vou me dar bem, se é realmente o que eu quero, estou com medo de errar. Mas tudo bem, eu supero.
Fora todo esse estresse, eu tenho feito algumas coisas legais com meus amigos, uma delas foi um acampamento que fizemos, foi tipo, perfeito.
Eu, Alice, Ben Hur, Gabriel, Mariana e Paula fomos pra casa da Tita and Shirley passar dois dias acampando e foi tão bom, nos divertimos bastante, bebemos bastante um pouco de martini vermelho e vodka pra descontrair, dançamos, dormimos, brigamos, voltamos a ser criança, caminhamos e como caminhamos, achamos lugares bem legais. Dormimos todos juntos em uma barraca de 6 lugares, estava bem frio nas duas noites, mas como somos espertos, cada um levou duas cobertas, então não passamos frio own. Não vou contar mais detalhes e besteiras que fizemos porque são coisas que são legais de guardar só na nossa memória e seilá, se não fizermos de novo fica a lembrança desse, porque foi realmente muito legal.
Bom, estou um pouco sem tempo então vou encerrar o post com algumas fotos. 1bj