quarta-feira, 6 de maio de 2015

Untitled

Eu não mereço isso. Não, eu não sou mais aquela menina que pensava "ah, talvez a culpa seja minha". Não! A culpa não é minha. E eu não mereço isso. Sem querer ser arrogante, mas eu sei o que eu mereço e definitivamente esta situação não se enquadra no meu perfil de merecimento. Honestamente, eu sou o tipo de pessoa que reza por pessoas desconhecidas todas as noites, que me preocupo com as pessoas, mesmo aquelas que eu não tenho convivência. Eu me preocupo. Eu me importo. Eu cuido.
Pessoas como eu, fazem o bem sem querer nada em troca, mas de certas pessoas a gente sempre espera uma consideração porque nós as consideramos mais do que qualquer pessoa, acima de qualquer coisa. Bom, pensando bem, talvez eu tenha culpa nisso: Colocar alguém acima até mesmo de mim, das minhas vontades. E isso não vale a pena. Nunca.
Mas o que fazer quando se tem um amor tão grande? Eu não sei e eu sinceramente não sei se é suficiente. Então eu choro, e choro muito, todas as noites. Às vezes sem saber o motivo, mas sempre com a mesma pessoa em mente. Talvez este seja o motivo. Talvez seja a solução.
Amar alguém é bom até certo ponto, ponto este que torna tudo errado, torto e confuso. Eu estou neste ponto. No ponto de interrogação, porém tentada pelo ponto final.


Tão bom saber que tenho onde e com quem compartilhar meus sentimentos mais profundos. Obrigada e até a próxima.